8 de set de 2008

VYRENA


Vyrena


Sou Antonia Nery Vanti (Vyrena/Aneryv), nascida 16 de fevereiro em Santiago R/S. Há 27 anos residindo em Porto Alegre. Graduada e Letras, professora apoesentada. Casada, um casal de filhos e um de netos ( os melhores presentes que recebi de Deus)
Romântica e sonhadora, comecei, mesmo, a escrever, quando descobri a internet. Sendo um pouco tímida e retraída, é em frente à telinha, que deixo vazar meus sentimentos. Atulamente possuo dois sites, http://br.geocities.com/aneryv/index.html completo e
http://br.geocities.com/vyrenainventandosonhos, em andamento , feitos por mim, depois de fazer o cursinho no grupo FrontPage.
"Não me considero poeta, apenas descrevo sonhos e fantasias acumulados na alma e, que de repente, como lava de um vulcão, emergem das profundezas para o papel."
Um pensamento:" Os sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente" (Vyrena)



Vem, amor

Antonia Nery Vanti (Vyrena)

Vem amor,
vamos bailar
pelos jardins e pelos prados.
Sentir o perfume das flores
e o cheiro do capim molhado.
Vem, vamos sonhar abraçados,
os corações num ritmo alucinado.
Quero dançar, quero te beijar
e te amar até dia raiar!

Sente no ar a melodia,
faze-me flutuar em nuvens cor de rosa,
meus sentidos anestesia
nessa áurea fantasia voluptuosa
que a meus anseios sacia.

Vyrena





Retalhos da vida




Antonia Nery Vanti (vyrena)




Revirando meus guardados

No baú da saudade...

Encontrei ... meio mofados...

Retalhos de minha vida:

Restos de felicidade...

Partículas de antigos amores

Que ali permaneciam esquecidos...

Perdidos... já fora da realidade!

Entre as páginas amareladas

Do romance preferido...

um amor perfeito amassado...

Quiçá...presente de um namorado!

O sabor de um beijo roubado

Num retrato que foi tirado

Num cantinho do jardim ...

Onde as borboletas curiosas espiavam...

Escondendo-se entre os jasmins

Entre todas essas lembranças

Encontrei até mesmo

O sufoco do abraço apertado

E o sabor salgado das lágrimas

Que rolavam nas despedidas

E encharcavam o lenço bordado

Com que... disfarçadamente

as enxugava!

Com o coração apertado...

Despedi-me da juventude

Que bem longe ficou

Perdida no passado!




Nenhum comentário: